FERNANDO GAMELEIRA

Por Rafaella Oliveira

 

Fernando Gameleira foi um dos protagonistas da tarefa mais elogiada da temporada do Retorno, no ano passado. Ex-conselheiro do programa, consultor do SEBRAE, publicitário e atualmente atuando na área de Planejamento Estratégico e Inteligência Competitiva, Fernando topou nos conceder essa entrevista exclusiva. 

 

Com relação ao EMPRETEC ele esclarece que o seminário "visa melhorar a performance do empreendedor" e afirma que os aprendizes empretecos se destacaram em suas edições, levando a melhor, caso de Tiago Aguiar, vencedor do Aprendiz 4 e de Clodoaldo Araújo, vencedor do Aprendiz 5. 

 

Fernando comenta ainda sobre a importância do planejamento para aquele que busca empreender, conta como se tornou consultor do SEBRAE e muito mais. 

 

Agradecemos a participação do Fernando!

 

Confira!

 

(Daniel Simões, adaptada por Aprendiz Coelhocratas) Gameleira, quem são as pessoas que você procura se espelhar para fazer sua vida profissional e pessoal? Você acha que é importante ter referenciais?

 

(Fernando Gameleira) No mundo dos negócios, temos que nos espelhar em pessoas que fazem acontecer. Por trabalhar com pequenos empresários há 16 anos, tenho vários exemplos de pessoas que começaram o negócio no quarto dos fundos e hoje tem empresa de destaque nacional. Um exemplo bem próximo é meu amigo Ladmir Carvalho, da Alterdata (www.alterdata.com.br), quem eu tive o prazer de ser instrutor do Empretec em 1999 e hoje é uma das 5 software houses do Brasil. Mas a lista é imensa. Se eu fosse listar, não caberia aqui.

 

(Endrik Raphael) Qual é o principal desafio de um consultor Sebrae?

 

(Fernando Gameleira) Usar a sua competência para ajudar o pequeno empresário a enxergar além do balcão. Muitas vezes, o pequeno empreendedor tem um diamante que precisa ser lapidado. Se o consultor consegue dar o brilho, seu papel terá sido cumprido.

 

(Aprendiz Coelhocratas) Qual é a sua formação e como se tornou um consultor do SEBRAE? 

 

(Fernando Gameleira) Sou publicitário, formado pela Universidade Federal Fluminense. Trabalhei em agências como redator até montar minha própria empresa em 1993. Em 1998, percebendo a necessidade de melhorar, procurei o Sebrae e me indicaram o Empretec, que estava iniciando no estado do Rio de Janeiro. Pelo meu desempenho no grupo, fui convidado a participar do projeto e estou até hoje. De lá para cá, o Empretec me permitiu conhecer todo o Brasil e também implantar o Workshop na África do Sul, além de ter treinado Facilitadores de 6 países africanos. 

(Denilson Lisbôa, adaptada por Aprendiz Coelhocratas) Conte-nos sobre seus projetos atuais e futuros. 

 

(Fernando Gameleira) Depois de atuar como publicitário por vários anos, percebi que existem outras competências complementares fundamentais. Assim, desde 1994, quando fundei a Commutare, tenho me dedicado a atuar na área de Planejamento Estratégico e Inteligência Competitiva. Minha missão é transformar a vida de pessoas e empresas.

 

(Aprendíz Coelhocratas e Daniel Simões) O SEBRAE é uma instituição que visa apoiar o empreendedor. Com toda a sua experiência, conte-nos qual é, normalmente, a maior dificuldade deste empreendedor que busca este auxílio. 

 

(Fernando Gameleira) A maior dificuldade é fazer o pequeno empresário acreditar que é possível gerir a empresa de forma mais profissional, com mais planejamento e menos improviso. Quando o empreendedor entende isso, o trabalho fica muito mais fácil. Como exemplo recente, tivemos a tarefa do ALI no Aprendiz - O Retorno, onde houve um empate entre as equipes, justamente porque os proprietários dos hostels se permitiram ser ajudados pelo Sebrae.

(Aprendiz Coelhocratas) O que é e qual o objetivo do EMPRETEC e quais profissionais podem, ou devem, participar deste seminário?

 

(Fernando Gameleira) O EMPRETEC visa melhorar a performance do empreendedor, ou seja, trabalhar de forma intensa o seu comportamento, para que este obtenha melhores resultados. Assim, pessoas que queiram promover mudanças comportamentais são o público alvo do Workshop.

 

(Denilson Lisbôa) Fernando Gameleira, você acha que o candidato do Aprendiz que já fez o curso EMPRETEC do Sebrae tem vantagens sobre os demais? Quais seriam estas vantagens e por quê?

 

(Fernando Gameleira) Não foi coincidência o fato de os Empretecos Tiago Aguiar (2007) e Clodoaldo Araujo (2008) terem sido os vencedores do Aprendiz. Quem participa do EMPRETEC fica mais preparado para a vida, para os desafios.

As vantagens começam pela capacidade de resistir à pressão, pois o Workshop testa como o empreendedor reage às adversidades. E isso não é pouco.

 

(Aprendiz Coelhocratas) Na sua e opinião, qual a importância do planejamento para aquele que busca abrir o próprio negócio? Qual dica você daria para aquele que busca empreender?

 

(Fernando Gameleira) Abrir um negócio sem planejar é como assumir a cabine de um avião sem saber o destino. Você pode se considerar um bom piloto, mas nunca saberá se chegará ao destino.

Quer um simples conselho? Procure o Sebrae.

(Aprendiz Coelhocratas) A tarefa do SEBRAE que aconteceu no Aprendiz, o Retorno, foi a mais comentada - e elogiada - tarefa da temporada. O que você achou disso?

 

(Fernando Gameleira) Sem modéstia, não foi nenhuma surpresa. Desde o Aprendiz 4, quando eu representei o Sebrae no Aprendiz pela primeira vez,  isso tem sido uma constante. Mas não é coincidência, pois o Sebrae, com mais de 700 postos de atendimento em todo o Brasil, conhece o pequeno empreendedor como ninguém. A contribuição do Sebrae para o programa é um fato inquestionável, que o Roberto e a produção reconhecem.

 

 

(Aprendiz Coelhocratas e Denilson Lisbôa) Como foi ser um conselheiro do Aprendiz e trabalhar ao lado de Roberto Justus e Walter Longo? Por que você não continuou?

 

(Fernando Gameleira) Foi uma experiência única e enriquecedora, principalmente por saber que colaborei para melhorar o nível do programa, quando o Aprendiz passou a buscar um sócio e passou a usar a metodologia de seleção do Empretec.

Roberto e Walter são profissionais inquestionáveis em termos de sucesso, mas também são pessoas muito acessíveis e humanas. São pessoas que vou lembrar com carinho e respeito para o resto da vida, pois me receberam e me acolheram muito bem.

Quanto a ficar no programa, da mesma forma como o tema muda, acredito que a renovação seja saudável para poder preservar a curiosidade do público.

Cada conselheiro até hoje teve um papel fundamental para o programa. Na edição que participei, o Claudio Forner atuou nos bastidores. Nas edições que o Forner foi conselheiro, o Renato Santos teve uma participação. E recentemente, quando o Renato foi conselheiro, nós também atuamos. Em suma, somos um só time, que tem por objetivo melhorar o resultado do reality show. O importante é agradar ao público e aos fãs, como vocês, que têm um papel importantíssimo em todo o processo.

©2018 by Coelhocratas