Por Rafaella Oliveira

 

Aprendiz, o Sócio, estreou no dia 06 de maio de 2008 e foi a quinta edição do reality apresentado por Roberto Justus. A final, transmitida ao vivo, bateu recorde de audiência. Na ocasião, disputavam a sociedade com Roberto Justus: Clodoaldo Araújo e Henrique de Castro Pereira Sucasas, ou simplesmente Henrique Sucasas como ficou conhecido. Henrique, atualmente com 41 anos de idade, é empresário e acredita que a verdade sempre prevalece. Ele não levou a sociedade, mas é, sem dúvida alguma, o aprendiz mais lembrado pelos fãs do programa.

 

Mesmo ficando em segundo lugar no Aprendiz, o Sócio, ele foi tido como o verdadeiro protagonista de sua edição, sendo o personagem principal das mais marcantes salas de reunião da história do Aprendiz.
 

 

Ele deixa subentendido em suas respostas que não voltaria ao Aprendiz, o Retorno, para ser funcionário de Roberto Justus e que, sua participação, tida como polêmica para uns, na verdade foi autêntica e sua atuação foi fiel aos seus princípios. “O grande erro, quando vejo pessoas tentando analisar minha postura, é esta. Tentam me analisar como sócio, mas sob as regras que são buscadas para um perfil de funcionário.”, ele diz. O fato é que, para a grande maioria, Henrique deveria ter sido o ganhador do Aprendiz 5.

 

Ele não conquistou a sociedade em 2008, mas, certamente, conquistou muitos fãs e admiradores – e talvez, até alguns não admiradores. E após cinco anos, em recente pesquisa feita aqui em nosso blog, Henrique superou todosos ex-aprendizes e conquistou o primeiríssimo lugar da enquete que criamos. Com 51,6% dos votos, Sucasas foi o nosso vencedor. Mais da metade dos fãs que votaram, quiseram saber por onde ele andava e como ele estava depois de tantos anos. Fui atrás dele e ele aceitou responder, com exclusividade, essa entrevista.

 

Depois de cinco anos de silêncio, Sucasas nos concede a entrevista e manda um recado:
 

“Fico muito feliz por esta oportunidade. Desejo muitas bênçãos, sucesso e que este segundo semestre venha ser o melhor da vida de todos. E que o Aprendiz, o Retorno, venha a ser “justus” com quem ganhar! Que aqueles que creem no Senhor Jesus, assim como eu, recebam a paz do Senhor e que, os que não creem que venham a crer! E quando forem viajar... Já sabem!

Grande abraço,

Henrique Sucasas”

Confira a entrevista!

(Aprendiz Coelhocratas - AC) Sabemos que sua participação foi a mais comentada da história do reality. Antes de começarmos a entrevista, gostaríamos de saber o que você tem a dizer sobre isso.

(Henrique Sucasas – HS) Primeiro lugar, um oi para a Rafaella e para todos os colunistas deste blog. Um super abraço para todos os que votaram em mim nesta enquete que me surpreendeu bastante, principalmente pela expressividade do resultado. Resultados são números e, para responder esta pergunta, recorro aos números, vamos a eles: 8 temporadas, 128 episódios, 128 aprendizes, 8 vencedores, 8 segundos lugares, números superlativos para apontar entre tantos, 1º uma única pessoa que chegou em 2º lugar ocupar o 1º lugar de mais comentado, sendo o 1º desta enquete com mais de 51%. Posso dizer que acho tudo isto simplesmente sensacional!!! Para os publicitários de plantão, os branding builders, isto é um grande case de recall e, dados os cinco anos que separam o fatídico dia 26/06/2008 para o dia 30/08/2008... Torna-se ainda mais expressivo!!!!!

O bom de tudo isto é que, além de não sair por aí cuspindo na cara de ninguém, não protagonizei baixarias circenses romanas. Não fiz sexo com alguma das participantes, nem adotamos o vocabulário piegas denegridor do nosso rico e lindo português. Não inventamos fábulas, não denegrimos pessoas, não atacamos e não nos rebaixamos para conseguir objetivos, sejam quais forem, mas, ali defendi a verdade, simplesmente a pura verdade de EU poder ser quem eu sou independente de onde, com quem e o que você está ou estiver fazendo. É assim que eu sou, na família, na igreja, com os amigos, com meus funcionários, fazendo negócios e em todas as áreas da minha vida!

Quando você pode ser você, sem medo de perder algo ou alguma coisa, ou alguém ou uma oportunidade, é extremamente poderoso porque é impossível não existir reação a uma verdade, seja contrária ou não. E eu creio que foi isto que provocou tamanho recall em relação a minha pessoa. Mas, graças ao bom Deus, isto não alimenta meu ego, isto só alimenta cada vez mais minhas convicções Cristãs de que A VERDADE SEMPRE PREVALECE e deve prevalecer em qualquer circunstância!

A verdade é a maior arma que pode existir e o maior exemplo de verdade na história da humanidade, inigualavelmente, incomparável e inatingível por qualquer outro ser humano, foi Jesus. Através da verdade foi que Ele cumpriu as 3000 profecias escritas sobre Ele. Por causa da verdade Ele fez coisas que ninguém fez. Pela verdade, as nações do globo criaram e se uniram debaixo de um calendário Cristão universal, simplesmente insuperável. Justamente por Ele ser a verdade.


(AC) Sua participação foi elogiada pelos fãs, mas, durante o reality seu posicionamento foi questionado por seus companheiros de equipe. Algumas pessoas, inclusive, dizem que esta foi a razão do seu segundo lugar. Quais motivos você acredita que tenham motivado a forte rejeição que você sofreu por parte de vários colegas de programa do Aprendiz 5? Por que sua postura foi tão polêmica? (Jadre Júnior e Rodrigo Silva)

(HS) Em primeiro lugar eu não fui polêmico, eu fui AUTÊNTICO, como expliquei na primeira pergunta. O Henrique é assim: sou fiel aos meus princípios, vivo pela minha fé, amo meu Deus e meu Jesus, amo minha família, meus amigos, defendo o que creio, vivo pelos meus princípios, sei quais eram meus objetivos dentro do programa, cumpri vários deles e, só não ganhei porque..... O Roberto, junto com seus conselheiros, escolheram por não me escolher. É um direito dele(s) e não tenho nenhum tipo de crise existencial quando deito a cabeça no travesseiro por causa disto, pelo contrário.

Do lado dos participantes, eu não os via como companheiros, eu os via como adversários. Similar a uma corrida de Fórmula 1: 24 pilotos, cada um correndo por seu próprio time, dentro do mesmo circuito, em busca da vitória, após 16 voltas. Não dá para você pisar fundo, manter a liderança, acenar para a platéia, levantar a bandeira, brincar com o adversário do carro do lado, olhar as Grid Girls e parar no boxe para tomar café, uma vez ou outra. Você tem que se manter focado. É isto que eu posso dizer. Só existiam duas pessoas que eu realmente tinha que agradar: A PRIMEIRA É JESUS CRISTO DE NAZARÉ, a segunda era o Roberto e ponto!

Eu não estava lá para fazer amizades, nem aparecer na televisão, nem para me tornar conhecido. E quando você adota esta postura as pessoas não gostam. Gosto muito do exemplo do Senna. Todos o admiravam, mas ninguém era amigo dele, dentro do circuito, só o pessoal da sua escuderia. Muito similar ao que aconteceu no Aprendiz, o Sócio! Independente desta postura, eu creio pela verdade, não ter sido a vontade de Deus que eu ganhasse e, tenho grandes provas a respeito disto que penetram os meandros da fé e alimentam minhas crenças. Dividirei uma destas convicções: dois anos antes, eu havia recebido uma profecia de um pastor amigo que Jesus iria me dar um carro zero. Eu estranhei porque nunca quis comprar carro zero e nunca comprei carro zero, principalmente no Brasil. Inclusive, na época, eu tinha um carro de 470 cavalos que eu amava. Olha o que aconteceu: eu fui o único aprendiz de todas as temporadas que ganhou um carro zero. Ou seja, a verdade de Jesus se cumpriu. Por isso eu não creio que era pra eu ganhar... Depois eu entendi, é claro.


(AC) Se você fosse um dos participantes desta nova etapa do Aprendiz, você mudaria seu jeito para conquistar as pessoas, ou você prefere ser você mesmo e ir pra cima em busca da vitória? (Evandro Moreira, adaptada pelo blog AC)

(HS) Quero deixar bem claro que a temporada que participei foi a temporada O SÓCIO e não O FUNCIONÁRIO. Desde 1999 eu nunca mais fui funcionário de nenhuma empresa. Fiz consultoria e joint ventures, mas, não fui funcionário. Por isso, meu único interesse foi ser sócio dele, para que, tanto eu como ele, pudéssemos nos beneficiar desta junção. Ele utilizando o Henrique para o seu projeto da Brainers e o Henrique utilizando o Roberto dentro dos seus projetos. Uma intersecção que ambos se beneficiariam e criariam um chão comum. Fora isto, não havia nenhum tipo de interesse mútuo.

O grande erro, quando vejo pessoas tentando analisar minha postura, é esta. Tentam me analisar como sócio, mas sob as regras que são buscadas para um perfil de funcionário. E é justamente aí que começa o MMA. Ser funcionário exige um tipo de perfil, ser sócio exige outro completamente diferente. Para ser sócio não pode haver julgo desigual. Ou ambos se respeitam mutuamente e igualmente, trazendo para a mesa idéias que poderão ser misturadas para gerar uma nova fórmula ou, em minha opinião, não funciona.
Senão vira aquela coisa de relacionamento frustrado, onde uma parte ama a outra muito mais e acaba cedendo em quase tudo e perde toda a sua essência. Perde as melhores características porque ficou com medo de perder a outra parte e, aí, complica. E quem perde é a parte que se anulou. Não se brinca com a vida. O tempo nunca mais volta.


(AC) Você acredita que tenha sido um alvo constante nas salas de reunião somente por ser um concorrente forte, com uma ótima capacidade de argumentação e espírito competitivo? Você acha que, participando das salas, você acabou mostrando ao Roberto que merecia continuar no programa e, consequentemente estar na final? (Jadre Júnior e AC)


(HS) 16 provas, 1 foi making off e, dentre as 15 provas, ganhei 7. Com provas e resultados bem expressivos, ainda que muitos tenham tentado desqualificar os resultados alcançados. Portanto, muita gente acaba somente destacando as minhas performances nas salas de reunião, mas, esquecem de trazer a mesa os resultados obtidos. E bobo ninguém é. Nem o Roberto, nem a Record, nem os participantes. Houve conteúdo. As salas de reunião chegam a demorar 4 horas e o público assiste 20 minutos. Mas é mais da metade do tempo que o programa fica no ar, portanto, quem olha somente a sala de reunião, olha somente um pedaço do quebra cabeça.

Mas, sem dúvida, na sala de reunião eu pude expressar e demonstrar fatos importantes e verídicos, que foram intencionalmente omitidos e distorcidos pelos meus adversários na tentativa de me desqualificar quando possível. Desta maneira, me vali da mesma sala de reunião para trazer os mesmos fatos, omitidos e distorcidos, mas consertados, aliados a resultados, que demonstravam a veracidade dos argumentos apresentados por mim. E é justamente aí que se encontra o conteúdo. Creio eu ter realmente me beneficiado das salas de reunião em pró análise macro e a observância do Roberto Justus! Porque se eu deixasse..... Teria virado suco.


(AC) Na grande final do Aprendiz 5, um dos argumentos levantados para sua não-contratação foi o fato de você ter um perfil "parecido" com o estilo do Roberto Justus e, sendo assim, uma parceria entre vocês não traria maiores inovações. Afinal de contas, vocês são realmente parecidos? Se sim, em quais aspectos você acredita que vocês se assemelham? Você considera essa comparação um elogio? (Aderson Bezerra)

(HS) Pelo contrário. Eu e o Roberto somos completamente opostos. Ele é um grande empresário, administrador fortíssimo. Sabe montar grandes times, escalar talentos, mantendo o espírito de todos unidos e remunerando muito bem seus funcionários mas, considero-o muito mais conservador do que vanguardista. Diria que ele é um grande conservador, extremamente agressivo. Uma análise rápida dos seus negócios mostra isso. Uma nave mãe (Y&R) que está associada com os americanos, uma das maiores empresas do mundo. Ele não está sozinho e suas outras empresas são como satélites desta nave mãe que estão criando – ou já criaram – vida própria. Isto não posso dizer. Em minha opinião, eis aí o grande mérito dele. Consolidou o crescimento dentro deste parâmetro de negócios (publicidade e comunicação) e conseguiu fazer do seu grupo o maior do Brasil, com o branding capital dos americanos associado no mercado local.

Eu sou o tipo que, ao invés de me associar aos americanos, eu os compraria ou montaria uma estrutura nos EUA para operar lá, principalmente com o capital que eles têm. Sou muito o estilo da AMBEV que comprou a Bud, Burger King, do que só mirar o Brasil. Gosto muito do case do “Fogo de Chão” que foi lá e está se espalhando nos EUA inteiro, tremendo sucesso. Este é muito mais meu estilo. Eu tenho postura mais imperialista no sentido de ir e conquistar. Desbravador de novas terras, novos projetos. Por isto eu creio que foram infelizes ao colocar meu perfil como similar ao do Roberto. Confundiram caráter e personalidade forte, que realmente são similares, com talentos. Mas aí, estávamos nos últimos segundos da prorrogação.


(AC) Desde a sua participação no Aprendiz 5, você passou por alguma experiência de vida que trouxe alguma mudança significativa na forma de ver o mundo e/ou de se relacionar com as pessoas? Você continua o mesmo ou algo mudou desde sua participação? (Jadre Júnior e AC)

(HS) Se o homem continuar o mesmo após 5 anos, significa que ele não aprendeu nada. Vinho, quanto mais velho melhor e mais excelente. E a grande prova que mostra que tenho mudado e evoluído, são os resultados obtidos nas mais diversas áreas da minha vida nestes anos. Pode ter certeza que a ferocidade em defender minhas posições é a mesma ferocidade e rigor que cobro de mim mesmo ao buscar, incessantemente, a perfeição em tudo o que faço. Começando com servir a Deus e a Jesus, passando por todas as demais áreas da minha vida.

(AC) Afinal, o que você trouxe do Aprendiz? O que a participação lhe trouxe?

(HS) A participação me trouxe um carro zero, um guarda roupa novo, um diploma do exército e dezenas, dezenas de amigos, colegas e, principalmente, testemunhos das mais diversas maneiras e lugares, de como houve influência na vida de pessoas a minha participação. Principalmente a palavra de Deus e de Jesus, mas, neste as, eu prefiro manter em reservado e em segredo. Em algumas palestras eu conto alguns casos sensacionais que aconteceram!

 

(AC) Como surgiu a ideia de trazer para o Brasil o "Gravidade Zero"?
(Henrique foi o responsável por trazer ao Brasil os vôos Gravidade Zero)

(HS) Eu fui participar de uma feira nos EUA de FOODS & BEVERAGE, pois estava desenvolvendo um projeto para uma indústria de café brasileira para exportar café instantâneo gourmet para os EUA. No aeroporto, na volta, eu vi uma revista de carros esportivos que comprei. Uns 5 meses depois eu notei, de maneira particular, o anúncio do Gravidade Zero. Achei sensacional e pensei: eis algo bacana para vender. Fui atrás dos americanos, consegui o contrato, e iniciei a empresa em 2010. Já se foram 3 anos. Existem detalhes hilários, mas, não poderei contar aqui. Perderia o sentido.

(AC) Você tem muitos fãs que o admiram pelo profissional que você demonstrou ser durante o Aprendiz. O que, para você, deve ter um bom profissional?

(HS) Quando você compra um chocolate você espera que ele seja gostoso e mate a sua vontade de doce. Mas, se ele for excelente você o usará como referência (tipo Chocolates Godiva). Quando alguém recebe um salário para desempenhar uma função esta pessoa deve se tornar o Melhor da empresa. Ele deve se tornar referência ao desempenhar suas funções. O que eu costumo chamar de andar a milha extra. Como Jesus falou, se alguém te obriga a andar uma milha, vai com ele a duas. Quando a pessoa começar a incomodar e se fizer notar, do presidente a faxineira, pela maneira como desempenha suas funções, aí sim, começa um bom profissional, em minha opinião.

(AC) Qual é o seu maior projeto atual? Conte-nos um pouco sobre o que você faz hoje e o que pretende para o futuro. Em uma escala de 0 a 10, quanto você já empreendeu do que pretende realizar profissionalmente? (Tiffany Guerra, adaptada por AC)

(HS) Sempre a linha mestre de atuação na minha vida é a palavra de Deus e de Jesus e procuro implanta-la em todas as áreas da minha vida. Tudo o que faço tem que andar debaixo desta regra. Esta busca incessante da perfeição que me faz, às vezes, me tornar odioso aos olhos de alguns.

Comercialmente falando, a vida andou. Hoje tenho consolidado os negócios que comecei. Tenho duas empresas: uma operadora de turismo e uma outra empresa na área de projetos de marketing e lançamentos de produtos. Em relação à nota, é muito difícil porque cada novidade, cada projeto, é um mundo a parte. Como se fosse um arquiteto: cada projeto é único e tem que se melhor do que o outro.

(AC) O seu potencial acima da média sempre foi muito valorizado pela grande maioria dos fãs, do programa "O Aprendiz" e diversas qualidades/habilidades suas, como por exemplo, o seu alto poder de argumentação, o fato de você ser visionário, o seu raciocínio rápido e eficaz, etc. foram exaustivamente destacadas nos debates entre nós, quando da sua participação do programa. Baseado nisso, pergunto: quais pessoas ilustres você considera possuir um Q.I. admirável ou acima da média? Você se inspira ou já se inspirou em alguém que atua ou atuou no mundo dos negócios/corporativo? (Aderson Bezerra)

(HS) Quando tinha 15 anos eu lia Lee Iacoca, Henry Ford, Donald Trump, mas, depois que me tornei Cristão, não existe mais comparação. Ele é o todo, em tudo e em todos os ângulos e aspectos. Tudo o que estes nomes citados acima fizeram é nada perto do que Jesus fez. É covardia, não poderia nem ser citado. 

Mas tenho alguns amigos que posso dizer que são muito inteligentes e excelentes de se ouvir e conversar. Um deles é o cara que trouxe a Lacoste para o Brasil. Um português fantástico, papos excelentes que estimulam meu cérebro, eu amo isto. Tem outro industrial, que foi um dos grandes líderes da indústria bélica brasileira. Inteligentíssimo, que gosto muito. Seu nome é Roberto.

Gosto de bons papos, pessoas que influenciam. Desde pequeno aprendi: ande com pessoas iguais ou melhores que você, porque aí você vai crescer. E adoto sempre esta regra para as amizades íntimas. Agora não tenho ídolos, nem cantores, nem nada. Mas posso dizer sim, que meu único ídolo, de verdade, que eu adoro e me humilho diante dele, sem dúvida, é Jesus Cristo. Este sim e toda a minha fonte de vida!

(AC) Você já teve como tema de palestra "visionário, empresário e louco, todo mundo tem um pouco". Na sua opinião, o mundo dos negócios precisa mais de empreendedores visionários e loucos? Por quê?

(HS) Esta é uma pergunta que me leva a lugares e meandros da fé! Eu acredito que, todo ser independente no mundo dos negócios, ou das artes, ou da música, ou seja, lá qual for a área, é um ser criado por Deus e por Jesus, com um objetivo e um plano pré-estipulado para este indivíduo fazer parte e desenvolver seu papel dentro da criação do Senhor. O grande segredo é este ser humano procurar se alinhar e descobrir qual é este plano que foi criado para ele. Quando isto acontece é quando ele atinge a plenitude da vontade do Senhor. Já não existe mais frustração nenhuma, mesmo que você tenha sido chamado para ser um alimentador de pássaros no zoológico de Butão, ou um catador de algodão na China, ou até mesmo um empresário no Brasil.

Em minha opinião, você estar no centro da vontade de Cristo, é o melhor lugar para se estar, pois, é neste lugar que o mundo vai te chamar de visionário e louco. Por isso, que no tema diz que todo mundo tem um pouco. Este pouco é o plano pré-estabelecido que ainda não foi revelado para aquele indivíduo. Vejamos o caso de Moises. Até os 40 anos era o segundo homem mais importante do Egito – general. Depois, por amor aos seus irmãos, teve que fugir e virou pastor de ovelhas por mais 40 anos. Sua verdadeira missão só lhe foi revelada aos 80, quando Deus aparece para ele e diz que ele seria o libertador do povo que estava em escravidão há 430 anos. Deus veio preparando Moises para desempenhar sua missão e, quando ele soube, ainda que temesse, ele não fugiu, mas confiou em Deus e nas maravilhas que o Senhor mostrou para ele, para que ele pudesse crer...! Similarmente eu creio que acontece o mesmo com todos, pequenos e grandes, pobres e ricos.

Mas porque o homem tem o direito do livre arbítrio, ele tem, também, o direito de negar a cumprir este plano, ou querer descobri-lo, preferindo, neste caso, buscar seus próprios caminhos. Mas é justamente nesta parte que, no auge dos meus 41 anos, tenho encontrado os homens mais frustrados do mundo, que ainda estão em busca de algo que eles mesmos não sabem. Uma missão que eles não conhecem, onde não existe plenitude, mas existe sede, existe frustração, ainda que às vezes muitos tem dinheiro, poder e riquezas. Mas não estão vivendo o verdadeiro plano de Jesus. Isto causa um vazio na alma e na vida que não pode ser preenchido com nada, nem com ninguém – humano. Por isso que, quando você consegue se alinhar com a palavra de Deus e de Cristo, você coloca a locomotiva no trilho e a vida começa a andar, mas o maquinista não é você. Isto é maravilhoso e é o começo para você descobrir para onde você vai. Mas a certeza é que um dia, sua grande missão também será revelada!

(AC) Houve uma matéria publicada em que você era tido, quando da sua participação no Aprendiz, como um líder autoritário e temido. Você é? Qual tipo de líder você se considera?

(HS) Nenhum dos dois porque não me considero um líder e nunca me considerei. Mais uma vez aponto como um erro me classificarem como tal. Meu perfil é outro, tipo Pedro Álvarez Cabral que saía pelo mundo desbravando e procurando novas terras. Quem quiser vir junto que venha e quem não quiser, que fique! Aí que está a grande diferença. Seu eu pagar bem, muita gente vai me acompanhar, como acompanharam Pedro Álvarez Cabral, Grahan Bell e tantos homens que tiveram sonhos. Mas só foram seguidos após alguém pagar por seu tempo e serviços. E isto, não é ser líder.

Pergunto eu: será que alguém trabalharia para o Justus de graça? Ou para o Silvio Santos, ou para o Barack Obama. Talvez, em época de eleição, um dia ou mais, mas durante a vida... Raríssimos! Os que conseguem isto, do seu semelhante, estes sim, são os verdadeiros líderes. E o maior de todos FOI E SEMPRE SERÁ JESUS. Após 2000 anos, 2 bilhões de pessoas o seguem. Ele nunca pagou nada para ninguém, mas bilhões literalmente o seguem. Milhares de pessoas deram suas vidas por Ele. Em troca, Ele não obrigou ninguém a segui-lo, não gritou, não foi falso, nem politicamente correto. Não fez questão de agradar a ninguém, não precisou subornar ninguém. Mas o mundo o segue. As autoridades se dobram diante dEle. Existe um calendário mundial por causa de seu nascimento. Quando alguém escreve um cheque, escreve: 30 de agosto de 2013, da era cristã. Isto sim é poder, liderança. Mesmo após 2000 anos e é inigualável. Foi morto, humilhado e desprezado e, mesmo assim, o mundo o segue. Muitos abrirão mão de tudo por Ele. Isto sim é LIDERANÇA PERFEITA E PLENA. MODELO DE VIDA PARA TODOS! Este é o meu CHEFE, costumo dizer. E meu salário, só vou saber no céu.

 

É isso, pessoal!
Nós agradecemos ao Henrique por aceitar nos conceder esta entrevista!
Agradecemos aos que participaram enviando suas perguntas!

Espero que todos tenham gostado!
Fique sempre ligado em nosso blog!

HENRIQUE SUCASAS

©2018 by Coelhocratas